domingo, 15 de fevereiro de 2015

RAIZA GOULÃO E HENRIQUE AVANCINI VENCE A TAÇA BRASIL DE MTB EM CAMPO LARGO

PÓDIO  TAÇA BRASIL DE MTB
1- HENRIQUE AVANCINI
2- RUBINHO VALERIANO
3- RICARDO PSCHEIDT

PÓDIO FEMININO
1 - RAIZA GOULÃO
2 - ISABELLA LACERDA
3- LUANA MACHADO
Henrique Avancini conta como foi sua vitoria na taça Brasil de Mtb.
Muito satisfeito com a vitória na Taça Brasil, competição classe 2 do calendário UCI.
Campo Largo abre o calendário de competições do Brasil desde 2011 e venci na Elite em 4 das 5 ocasiões de abertura da temporada. Neste ano a competição aconteceu em fevereiro o que é excelente pros atletas de elite. Precisamos de um calendário distribuído e que comece cedo, pois geralmente temos competições "encavaladas", e muito próximas do Campeonato Panamericano, que geralmente é uma boa possibilidade de pontuação alta na UCI, ou não temos competições. Esse ano a distribuição está ótima...Ponto positivo pra CBC.
Quanto ao circuito, é chato ser repetitivo...Cada ano que passa estamos mais atrás e não há evolução técnica. Eu sinceramente considero quase duas modalidades diferentes competir no Brasil e competir no exterior (e não incluo só Copas do Mundo). Circuito técnico, não é circuito perigoso nem ruim de andar. Este ainda é o ponto mais negativo da nossa modalidade no Brasil.
De volta a competição. Competir na lama não é meu ponto forte, mas acredito que não seja mais meu ponto fraco, e isso não é por acaso...Tenho trabalhado muito em pontos falhos.
Cheguei pra prova em boa forma. Mais forte do que nunca, resistente, porém ainda muito longe de uma condição competitva pra XCO. Tudo está indo como progromado na preparação e posso dizer que ainda estou em uma fase "atrasada" pra competir bem em provas de um dia, mas hoje fiz uma boa prova.
Consegui andar constante e ditar o ritmo a partir da metade da primeira volta. Apesar de ter controlado a maior parte da corrida, foi uma disputa emocionante. O trenzinho seguia comigo, Rubinho, Pscheidt e Cocuzzi... Aos poucos o grupo foi ficando mais reduzido. Até que na terceira volta(de um total de 5) éramos eu e Rubinho. Ai é hora de começar a usar um pouco mais a cabeça e pensar bem onde gastar as forças. No meio da volta consegui abrir pequena vantagem, mas cometi dois pequenos erros e ele encostou novamente. Novamente esperei um bom momento para fazer a aceleração (nesse tipo de circuito com lama não adianta atacar, geralmente acelerações longas têm mais êxito) Abri novamente e consegui uma diferença razoável. Na última volta tentei usar a vantagem e pilotar de maneira mais cautelosa, já sem pastilhas de freio e com o circuito piorando bastante. Foi uma competição bem intensa e mais uma vez uma boa disputa com o Rubinho.
Fiquei satisfeito com o desempenho físico e técnico. Conseguir levar o material até o final da corrida ileso nessas condições, é em parte mérito, mas admito que também uma boa e generosa ajuda de Deus...
A vitória valeu muito. Pontos UCI, primeira competição e vitória pela equipe Cannondale Factory Racing, carga de motivação, confiança...Mas acho que o mais importante na vitória, foi o fato de minha esposa não me matar quando eu chegar em casa com essa roupa! : )
Pros curiosos, eu estava equipado com:
Pneus Schwalbe Dirty Dan 2.0 na frente e atrás;
Grupo XX1 com coroa 36;
Freios Avid com pastilhas de metal;
A próxima é briga com cachorro grande. Em breve divulgo.
Obrigado a todos pelas mensagens positivas. Vale muito pra mim!
TEXTO HENRIQUE AVANCINI